quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Capítulo 61

Das 8 horas que estaria ''enfiada'' num avião daria tempo para por a conversa em dia com a Camila. Ela contou-me tudo sobre a sua relação com o Richard, pela descrição aquela relação era o paraíso. Também aproveitei para lhe contar todos os detalhes do meu envolvimento com o Gonçalo e ela concordou com a minha atitude. Passadas 2/3 horas a conversar, a Camila acabou por adormecer e eu, aproveitei para pensar na minha vida, como sempre o assunto Rodrigo vinha à minha cabeça. Por mais que quisesse não conseguia esquecer este assunto, era mais forte do que eu. Acabei por adormecer.

Quando acordei já era de dia, 6 da manhã e as hospedeiras faziam-se passar pelos corredores do avião transportando o pequeno almoço.

- Meninas, vão querer comer alguma coisa? - perguntou a hospedeira

- Eu quero - respondeu a Camila

- Eu também - respondi

No pequeno tabuleiro continha um pão de leite misto juntamente com uma salada de frutas e um sumo de laranja natural. Tínhamos este pequeno-almoço delicioso, porque viajávamos na primeira classe.

Hospedeira a servir o pequeno almoço.

Por fim foi o tempo de tomar o pequeno almoço e as hospedeiras recolherem os tabuleiros para o avião aterrar. Já não tinha posição para estar, queria ver terra, pisar chão.

Por fim saí daquele avião, recolhemos as malas e entrámos no Táxi com direcção ao Leblon. A minha avó tinha uma vivenda lá, não me lembrava do nome da rua, mas certamente dizendo o nome e apelido dela, o taxista chegaria lá, era uma pessoa bastante influente no mundo dos cosméticos e a minha mãe estava a seguir os seus passos.

Chegámos ao portão da vivenda, reconhecia-o mesmo se não o visse durante décadas. Chamei o porteiro, o Sr. Chico. Estava lá há anos, era como um avô para mim...

- Menina Leire, que saudades, menina Camila, que linda - disse o Sr. Chico, ele nem sabia o que dizer.

- Sr. Chico - Só dissemos o seu nome e corremos para abraçá-lo.

- as meninas não eram só para vir na semana que vem? - perguntou

- Sim, mas a directora da minha escola dispensou-me esta semana também e então decidimos fazer uma surpresa.

- Que bela surpresa - disse o sr.Chico com um brilho no olhar.

- e a minha avó? - perguntei

- Está na sala com as vossas mães - respondeu

- Ainda bem, assim pegamos todo o mundo desprevenido. Peça ao Edu que leve as nossas malas para dentro.

Fomos directas à sala, pé ante pé, ouvimos-as falar e com uma afirmação com a cabeça para a camila como sinal de preparação para surpreender, contámos até 3.

- Surpresa - Gritámos em coro

A sala ficou ao rubro, todos se levantaram para abraçar-nos, todos os comentários possíveis e imaginários sobre o nosso aspecto fisico foram ditos.

- Filha estás tão linda, que saudades - disse-me a minha mãe enquanto me abraçava juntamente com o meu pai.

Ele parecia ser forte, mas já fazia alguns anos que não nos víamos e essas recordações e saudades fê-lo derramar uma lágrima. Estava mais sentimental do que quando o deixei. Abracei ainda a Mãe e o pai da Camila ( o tio Roberto e a Tia Mila), para último deixei a minha avó e a avó da Camila, estavam impressionantes, os anos não passaram por elas. Abracei-a com toda a minha força, estava cheia de saudades dela, além da minha outra avó ela era também o meu pilar e um exemplo a seguir. Lutadora, determinada e com grande sentido de responsabilidade e dedicação.

- Sentem-se e contem-nos que fazem aqui tão cedo? - perguntou a minha mãe.






1 comentário:

  1. fantastico...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar